A explosão da música pop no Brasil, por André Barcinski

O jornalista e autor do livro Pavões Misteriosos, que enfoca a música brasileira entre os anos 1974 e 1983, faz sua seleção musical do período com Roberto Carlos, Raul Seixas, Secos & Molhados, Rita Lee e mais

Felipe Tringoni 07/08/14 15:48 - Atualizado em 07/01/15 09:35

Artistas como Raul Seixas, Roberto Carlos, Novos Baianos, Rita Lee, Jorge Ben, Secos & Molhados e Tim Maia estão na seleção musical de Barcinski; ouça (Reprodução / Arte: Homero Esteves)

A quantidade de grandes discos produzidos no Brasil durante a primeira metade da década de 1970 é enorme. Durante um intervalo de cinco ou seis anos, Novos Baianos, Secos & Molhados, Raul Seixas, Jorge Ben, Arnaldo Baptista, Tim Maia, Rita Lee e tantos outros lançaram verdadeiras pepitas da música brasileira moderna.

Mirando seu olhar para essa fase de explosão da música pop no país, o jornalista e crítico André Barcinski realizou quase uma centena de entrevistas para explicar porque tantos grandes álbuns saíram na época. O material resultou no livro Pavões misteriosos, lançado oficialmente na mais recente edição da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), no Rio de Janeiro.

Segundo André, essa geração de músicos nunca havia sido estudada em conjunto. "O Brasil teve movimentos pop anteriores, como a Jovem Guarda. Mas nessa época o mercado de discos no país era muito pequeno, de oito a dez vezes menor do que no começo dos anos 70. Não existia uma indústria musical brasileira quando a Jovem Guarda surgiu. Uma cena pop, com grandes vendedores de discos e uma indústria pujante só surgiram mesmo depois do 'milagre econômico'", avalia o autor em entrevista ao programa Galeria, da Rádio Cultura Brasil (ouça a íntegra aqui).

A turma de Raul, Ney, Rita e tantos outros foi a primeira a fazer uma música pop brasileira com enorme sucesso nas vendagens. O talento dessa geração fabulosa de artistas, a mistura de influências estrangeiras com ritmos brasileiros e a maior liberdade criativa propiciada pelas gravadoras à época também contribuíram para a fertilidade da produção.

Barcinski centra seu livro de 1974 a 83 por razões simbólicas. O ano de 74 foi o primeiro em que um artista estreante – no caso, o grupo Secos & Molhados – chegou ao primeiro lugar na parada brasileira. O primeiro disco de João Ricardo, Ney Matogrosso e Gérson Conrad saiu em 1973, mas no ano seguinte foi o mais vendido no país, interrompendo um reinado de muitos anos da música romântica; já 1983 é o ano da explosão da dupla de compositores Michael Sullivan e Paulo Massadas – que por anos dominou os charts brasileiros – e do disco Vôo do coração, de Ritchie, que trazia o single "Menina veneno" e, para André, "abriu caminhos para o rock brasileiro que viria logo depois com Legião Urbana, Titãs, Paralamas do Sucesso".

Abaixo você ouve a seleção musical que o autor de Pavões misteriosos fez especialmente para o cmais+ e o portal da Rádio Cultura Brasil, destacando de Roberto Carlos às Frenéticas, de Raul Seixas a Sidney Magal, de Tim Maia a Guilherme Arantes.

 

O cmais+ é o portal de conteúdo da Cultura e reúne os canais TV Cultura, UnivespTV, MultiCultura, TV Rá-Tim-Bum! e as rádios Cultura Brasil e Cultura FM.

Visite o cmais+ e navegue por nossos conteúdos.