Chuva

Uma seleção que faz referência à chuva maneira, intensa ou corriqueira

Eduardo Weber 04/01/18 10:47 - Atualizado em 04/01/18 10:49

chuva

Esta edição começa com dois clássicos do carioca Jorge Ben Jor. O primeiro é “Chove chuva” que faz parte de seu disco de estreia, “Samba esquema novo”, de 1963. O segundo é “Que maravilha”, parceria com o violonista paulistano Toquinho, em faixa do disco “Negro é lindo”, de Jorge Ben Jor, de 1971.

 

Outro carioca, Wilson Simonal emenda com a composição do conterrâneo, Durval Ferreira e Pedro Camargo, “Chuva”, em faixa do disco intitulado “Wilson Simonal”, gravado em dezembro de 1964.

 

O Bossamoderna destaca também a clássica “Chove lá fora”, de Tito Madi, que foi composta em 1957, na versão do quarteto carioca Samba Noir. O grupo é formado por Kátia B, voz e guitarra, Luis Filipe de Lima, violão de sete cordas, Guilherme Ge, teclados, sintetizadores e Marcos Suzano, percussões. Outro clássico da música brasileira é “A chuva caiu”, parceria de Tom Jobim e Luiz Bonfá.

 

Esta edição apresenta a obra na versão de Fátima Guedes, em faixa do disco tributo de Fátima Guedes “Outros tons”, de 2006. A composição de Tom Jobim e Luiz Bonfá foi lançada por Ângela Maria, em 1955. "A chuva cai”, dos portelenses Argemiro e Casquinha, com Beth Carvalho também é destaque desta edição, em faixa do disco “Sentimento brasileiro”, de Beth Carvalho, de 1980.

 

De São Paulo, a ex-integrante do Grupo Rumo, Ná Ozzetti, canta e coassina “Chuva”, com Carol Ribeiro, em faixa do seu disco, “Meu quintal”, de 2011. Também do Grupo Rumo, Zecarlos Ribeiro assina a cena paulistana “Ladeira da Memória”, cantada por um ex-morador da cidade, o carioca Chico Buarque, em faixa título do disco “Ladeira da memória – afluentes da vanguarda paulista”, de 2014.

 

Mais uma paulistana, Klébi Nori é destaque desta edição com a obra: “Chuvarada forte não é garoa”, em faixa de seu disco “Sambarás”, de 2015. Quem a rebate é o carioca Leo Tomassini, ex-integrante do grupo Família Roitman: “É garoa”, em faixa do disco “Arpoador’, de Leo Tomassini, de 2003. A composição tem parceria de Leo e Rubinho Jacobina.

 

Francesa de Strasburgo, criada no Ceará e radicada em São Paulo, Laya convida: “Vem pra chuva”, em faixa do disco “Laya”, de 2016. A composição é de Mauricio Tagliari. Por sua vez, a paulista de Avaré, Lucila Novaes, apresenta a sua “Semi lágrima – a chuva”, em faixa do disco “É”, de Lucila Novaes, de 2013. A composição é de Paulo Novaes.

 

O trio carioca Kassin + 2, complementado por Moreno Veloso e Domenico Lancellotti, posiciona-se “Antes da chuva”. A obra é uma parceria de Kassin e Arto Lindsay, em faixa do disco “Futurismo”, do trio Kassin + 2, de 2006.

 

Esta edição destaca também a música “A chuva parou”, da cantora Maysa com sua voz marcante. A composição é de Ribamar, Esdras Pereira da Silva e Vitor Freire, em faixa do disco “The sound of Love”, gravado por Maysa para o mercado externo, em 1959, com arranjos do maestro Simonetti.

 

E esta edição do Bossamoderna fecha, à capela, com a paulistana Zizi Possi em “Chuva princesa”, de Jorge Mautner, em faixa do disco “Pedaço de mim”, de Zizi Possi, de 1979.

 

_______________________________________________

 

Bossamoderna
PGM 356
Domingo, 15 de outubro de 2017, às 15 horas.
Programa de Tárik de Souza
Produção: Rádio MEC – Rio de Janeiro

O cmais+ é o portal de conteúdo da Cultura e reúne os canais TV Cultura, UnivespTV, MultiCultura, TV Rá-Tim-Bum! e as rádios Cultura Brasil e Cultura FM.

Visite o cmais+ e navegue por nossos conteúdos.