Janela dos novos 61

Tárik de Souza destaca discos recém lançados

Eduardo Weber 04/01/18 11:23 - Atualizado em 04/01/18 13:59

Janela dos novos 61

Esta edição começa com a cantora paulistana, Mônica Salmaso com o álbum “Caipira”. A faixa em destaque é “Alvoradinha”, que conta com as participações de Mônica nos vocais, tambor, bombo legüero e caxixi; Teco Cardoso, flauta e baixo, Nailor Proveta, clarinete, Neymar Dias, viola caipira, Toninho Ferragutti, acordeon e voz e Robertinho Silva, djembê. O disco foi lançado pela Biscoito Fino. Faz parte dele também a obra “Sonora garoa”, de Marco Antônio Vilalba, o Passoca, acompanhada apenas pelo piano de André Mehmari e pela voz de Mônica Salmaso.

 

O programa destaca também o trio YBrasil, formado por Rodrigo Campos, Gui Amabis e Juçara Marçal. Esta edição apresenta o disco “Sambas do absurdo”, que tem faixas apenas numeradas, como a “Absurdo7”. Como em todas as outras obras do álbum, a música é de Rodrigo e a letra do compositor e artista plástico, Nuno Ramos. Esta edição destaca também da dupla, a música “Absurdo 5”.

 

O solo do multi-instrumentista e compositor Luciano Nakata Albuquerque faz parte desta edição do Bossamoderna. O álbum em destaque chama – se “Boca”, lançado pela Natura Musical. Esta edição apresenta “Bora passear”, primeira faixa do disco. A coletânea tem também “Prata, ferro, barro”, mais uma obra de Luciano.

 

Carioca criado em Brasília, o instrumentista Hamilton de Holanda, à frente de um quinteto, formado por ele próprio no bandolim de 10 cordas e arranjos, André Vasconcellos, baixo elétrico, Daniel Santiago, violão e arranjos, Gabriel Grossi, harmônica e Márcio Bahia, na bateria, presta um tributo ao carioca criado em Minas Gerais, Milton Nascimento com o álbum “Casa de Bituca”, CD/DVD da Biscoito Fino.

 

O programa desta semana destaca “Bicho homem”, de Milton Nascimento e Fernando Brant que conta com a participação do próprio homenageado. O disco revisita ainda o “Clube da esquina no. 2”, de Milton e os irmãos Lô e Márcio Borges.

 

Pianista pernambucano autodidata, Amaro Freitas lança seu manifesto independente “Sangue negro”, num cenário pós-samba jazz. “Norte” é uma das faixas. Também do recente álbum de Amaro, é o “Samba de Cesar”, mais uma composição de sua autoria.

 

Compositora e cantora, Lúcia Helena Carvalho e Silva, a Lucina, nascida em Cuiabá, Mato Grosso, que formou dupla com a também compositora Luhli, lança o álbum “Canto de árvore”. O Bossamoderna apresenta “O que ficou", faixa do disco. Outra obra que está no CD é “A dávida divida”, parceria de Lucina com o compositor paraense Joãozinho Gomes.

 

Esta edição Janela dos Novos, do Bossamoderna, fecha com o novo disco do alagoano Hermeto Pascoal, o CD duplo “No mundo dos sons”, do selo Sesc. O programa apresenta a faixa “Salve Pernambuco percussão!”. A obra “Viva Edu Lobo!”.

 

_____________________________________________________

 

Bossamoderna
PGM 362
Domingo, 26 de novembro de 2017, às 15 horas.
Programa de Tárik de Souza
Produção: Rádio MEC – Rio de Janeiro

O cmais+ é o portal de conteúdo da Cultura e reúne os canais TV Cultura, UnivespTV, MultiCultura, TV Rá-Tim-Bum! e as rádios Cultura Brasil e Cultura FM.

Visite o cmais+ e navegue por nossos conteúdos.