Trios da bossa nova

Piano, contrabaixo e bateria. Nada mais.

Eduardo Weber 23/03/20 16:53 - Atualizado em 27/03/20 13:00

Trios instrumentais constituídos por piano, contrabaixo e bateria é, talvez, a formação que mais se proliferou na primeira metade dos anos de 1960, coincidindo com o auge da bossa nova. Muitos deles tiveram duração efêmera. Outros, vida longa, mais de cinco décadas de trabalho quase que ininterrupto. Conheça um pouco desta história.

 

Repertório

 

01. Bossa três (Luiz Carlos Vinhas, Tião Neto e Edison Machado) em “Céu e mar”, de Johnny Alf. Com o Tamba Trio (Luiz Eça, Bebeto Castilho e Hélcio Milito), “Tristeza de nós dois” (Durval Ferreira / Bebeto Castilho / Maurício Einhorn).

 

02. João Donato, Tião Neto e Milton Banana tocam “Muito à vontade” (João Donato / Lysias Ênio). Manfredo Fest, Mathias Matos e Heitor Mariz, “Samba de verão” (Marcos e Paulo Sérgio Valle).

 

03. Baden Powell e Vinicius de Moraes na versão piano, contrabaixo e bateria. Com o Sambalanço Trio (César Camargo Mariano, Humberto Cláiber e Airto Moreira), “O morro não tem vez”. Com o Trio-D (Antonio Adolfo, Carlos Monjardim e Nelson Serra), “Água de beber“.

 

04. O trio do baterista Milton Banana tinha Wanderlei ao piano e Guará no contrabaixo. Toca, de Moacir Santos e Mário Telles, “Nanã”. Com Sansa Trio (José Briamonte, José Ordoñez e Lauro Bonilha), de Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli, “A morte de um Deus de sal”. Com Tempo Trio (Hélvius Vilela, Paulo Horta e Paschoal Miirelles), “Menino das laranjas”, de Théo de Barros.

 

05. O pianista Dom Salvador em dois trios diferentes. Rio 65, com Sérgio Barrozo e Edison Machado; e o segundo dele mesmo, com Edson Lobo e Victor Manga. No repertório, pela ordem, “Pro batera” (Dom Salvador) e “Tem dó” (Baden Powell / Vinicius de Moraes).

 

06. Músicos que tocavam em grupos diferentes. Jongo Trio (Cido Bianchi, Sabá e Toninho Pinheiro) em “Balanço número 1” (Hermeto Pascoal). Som Três (César Camargo Mariano, Sabá e Toninho Pinheiro) em “Canto de Ossanha” (Baden Powell e Vinícius de Moraes).

 

07. Sambrasa Trio (Hermeto Pascoal, Humberto Cláiber e Airto Moreira) em “Samba novo”, de Durval Ferreira. Com Bossa Jazz Trio (Amilson Godoy, Jurandir Meirelles e José Roberto Sarsano), de Tito Madi, “Balanço zona sul”.

 

08. Zimbo Trio (Amilton Godoy, Luiz Chaves e Rubens Barsotti), “Arrastão” de Edu Lobo e Vinicius de Moraes.

__________________________________________________

Brasil Brasileiro
260
Trios
Domingo, 29 de março de 2020, às 10 e às 22 horas.
Apresentação: Omar Jubran

O cmais+ é e reúne os canais TV Cultura, UnivespTV, MultiCultura, TV Rá-Tim-Bum! e as rádios Cultura Brasil e Cultura FM.

Visite o cmais+ e navegue por nossos conteúdos.