Marino Pinto

Letrista, parceiro de Zé da Zilda, Herivelto Martins e Tom Jobim

19/05/20 14:00 - Atualizado em 20/05/20 10:34

Marino Pinto

Jornalista, comerciário, compositor e funcionário da Departamento Federal de Segurança Pública, Marino do Espírito Santo Pinto foi parceiro de nomes importantes da música popular dos anos de 1940 e 1950. Podemos citar os principais: Wilson Batista, Zé da Zilda, Ataulfo Alves, Mário Rossi, Herivelto Martins, Vadico e Tom Jobim.

 

Nascido em Bom Jardim, Rio de Janeiro, em 18 de julho de 1916, foi para o Rio de Janeiro quando criança. Aos 20 anos, passou a frequentar o Café Nice, reduto de jornalistas e compositores de então. Ali teve contato próximo com nomes do rádio, entre eles Orlando Silva, que gravou seu primeiro sucesso, “Preconceito” (parceria com Wilson Batista).

 

Seguiram-se outros gravados por Aracy de Almeida, Sílvio Caldas, Elizeth Cardoso, Francisco Alves e Dalva de Oliveira, respectivamente “Fale mal, mas fale de mim”, “Cabelos brancos”, “Aula de matemática”, “O retrato do velho” e “O que será”, um sucesso com melodia de Mário Rossi.

 

Todas essas músicas são apresentadas nesta edição do Estúdio F dedicada a Marino Pinto, além de regravações realizadas por Beth Carvalho (“Estrela do mar”), Ney Matogrosso (“Segredo”), Dalva Andrade (“Prece”), Elza Soares e Monsueto Menezes (“Teleco-teco”), João Gilberto (“Aos pés da cruz”) e Gilberto Gil (“Pula, caminha”).

 

Uma curiosidade da sua obra está relacionada à música “Ai quem me dera”, que ele fez com Tom Jobim. Apesar de ter sido composta no final dos anos 50, a primeira gravação só foi realizada por Tom Jobim e Edu Lobo em 1981, 26 anos após seu falecimento, ocorrido no Rio de Janeiro em 28 de janeiro de 1965.

_____________________________________________________________________

Estúdio F – momentos musicais da Funarte

455

Marino Pinto

 

Quarta-feira, 20 de maio, às 09 e às 17 horas.

Apresentação: Pedro Paulo Malta

O cmais+ é e reúne os canais TV Cultura, UnivespTV, MultiCultura, TV Rá-Tim-Bum! e as rádios Cultura Brasil e Cultura FM.

Visite o cmais+ e navegue por nossos conteúdos.