Dia de São João

Da sanfona do nordeste a gaita dos pampas para comemorar as festas juninas

Eduardo Weber 22/06/18 13:05 - Atualizado em 22/06/18 13:08

Alexandra Nícolas, Chico Teixeira, Elias Rezende e Fim de Feira (Divulgação)

Os festejos juninos tem origem nas festas pagãs de antes da Idade Média em homenagem aos deuses da natureza e da fertilidade no solstício de verão do Hemisfério Norte. Em Portugal, em virtude da coincidência de datas, passou-se a comemorar o São João em 24 de junho, que levou ao nome de Festas Joaninas. As festas foram embarcadas nas caravelas e aqui aportaram como Festas Juninas, sinônimo de religiosidade, quermesse, comilança e de muita dança ao som do forró, principalmente no Nordeste brasileiro. Solano Ribeiro aproveita a data e mostra quatro trabalhos que de uma maneira ou de outra tem tudo a ver com essa data;

 

Alexandra Nícolas chega com o CD “Feita na Pimenta”, cujo roteiro musical pode muito bem esquentar o público de Campina Grande na maior festa de São João do Brasil inteiro. Sobre o disco, Zeca Baleiro escreveu: “‘Feita na Pimenta’ nos remete a um tempo de delicadeza da música popular, como se estivéssemos ouvindo do alto-falante de um arraial perdido na memória”. “Preta Chica”, “Tá pegando fogo”, “Serenin” e “Feita na pimenta” alegram o Arraial do Solano Ribeiro.

 

“Raízes sertanejas” é outro trabalho adequado para este São João. Chico Teixeira apresenta um disco gravado ao vivo no Auditório Ibirapuera com músicas assinadas por ele (“Ares do Saber”, parceria com Paulo Pedra Azul), de seu pai, Renato Teixeira, que canta com o filho “Aprendendo a viver” e um tema lançado há mais de 40 anos, “Ventania”, de Geraldo Vandré e Hilton Acioli.

 

Se a sanfona é o instrumento do forró junino, podemos dizer que a sanfona também cai bem nas festas gaúchas deste mês tão especial. O sanfoneiro, melhor dizendo, gaiteiro gaúcho, Elias Rezende, lança “Gauchíssimo”, que traz de sua autoria “Farroupilha”; de Ernesto Montiel, “La ratonera”; e do pesquisador Barbosa Lessa, “Negrinho do Pastoreio”.

 

E pra ser coerente, Solano termina esta edição o grupo Fim de Feira com o CD “Onde tem forró, tem festa”. A banda apresenta uma homenagem aos bambas da sanfona em “Aos mestres”. Depois toca “Seu João”, que focaliza um importante personagem de Feira de Caruaru, e finaliza com “Na feira não falta nada”, pra quem curte se aboletar na dança ao som do foguetório, da fumaça da fogueira e do calor provocado pelo quentão e vinho quente.

 

_____________________________________________________

 

Solano Ribeiro e a nova música do Brasil.
Domingo, 24 de junho de 2018, às 14 horas.
Reapresentação: segunda-feira, 25 de junho de 2018, às 9 e às 21 horas.
Cultura FM – Domingo, 24 de junho de 2018, às 23 horas.
Apresentação: Solano Ribeiro
Direção: Eduardo Weber

O cmais+ é o portal de conteúdo da Cultura e reúne os canais TV Cultura, UnivespTV, MultiCultura, TV Rá-Tim-Bum! e as rádios Cultura Brasil e Cultura FM.

Visite o cmais+ e navegue por nossos conteúdos.