Confissões de Johnny Alf

Em 2006, o monossilábico “primeiro bossanovista” esteve nos estúdios da Cultura FM para gravar uma conversa com Arrigo Barnabé.

da redação 18/09/09 00:00 - Atualizado em 18/09/09 00:00

Ruy Castro lembrou na Folha de S. Paulo os 80 anos de Johnny Alf, completados no mês de maio de 2009. “Se todos os artistas que ele influenciou se dessem as mãos, a corrente humana iria de Vila Isabel, no Rio, onde nasceu, a Santo André, no ABC paulista, onde mora há dois anos, numa casa de repouso.” O escritor ainda dizia da necessidade de homenageá-lo e que a data deveria ser comemorada durante todo o ano.

Em 2006, o monossilábico “primeiro bossanovista” esteve nos estúdios da Cultura FM para gravar uma conversa com Arrigo Barnabé. Como manda a cartilha do programa, falou sobre a formação de seu gosto: músicas que ouvia na Rádio Nacional e filmes musicais norte-americanos. Seu ouvido “muito bom” assimilava tudo que ouvia. “Com aquela vontade de fazer alguma coisa, comecei a fazer as músicas. Elas têm formato de melodia americana”, diz.

Arrigo - A bossa nova é considerada pela parte harmônica ou pela parte rítmica?
Johnny Alf -
Sabe que eu não sei?!



[ ] Programa gravado em 2006 e apresentado na Rádio Cultura Brasil em 18 de setembro de 2009.

O cmais+ é e reúne os canais TV Cultura, UnivespTV, MultiCultura, TV Rá-Tim-Bum! e as rádios Cultura Brasil e Cultura FM.

Visite o cmais+ e navegue por nossos conteúdos.