Elifas Andreato: o homem das capas

O mais celebrado artista gráfico da música brasileira

12/07/18 15:06 - Atualizado em 12/07/18 15:10

Ele foi um menino prodígio. Enquanto morava com a família num cortiço, passou a fazer pequenas esculturas com material reciclado. Adolescente, operário numa fábrica de fósforos em São Paulo, passou a fazer caricaturas e a pintar murais. Seu talento logo foi reconhecido.

Elifas Andreato teve uma trajetória como estagiário de publicidade até chegar na editora Abril. Seu trabalho mais importante ali, foi a celebrada coleção de fascículos “História da Música Popular Brasileira”, de 1970. Projeto que alavancou a história das capas de discos no país.

Entre os anos 1970 e 1980, seu nome foi cultuado no meio, assinando capas para Paulinho da Viola, Chico Buarque, Clementina de Jesus, Tom Zé, Martinho da Vila, Adoniran Barbosa, para citar poucos exemplos.

Entre o mundo das capas (incluindo os livros), dos cartazes para o cinema e para o teatro, Elifas Andreato traça um panorama de sua produção e sua relação com os artistas, num programa gravado em junho de 2018.

 

O cmais+ é o portal de conteúdo da Cultura e reúne os canais TV Cultura, UnivespTV, MultiCultura, TV Rá-Tim-Bum! e as rádios Cultura Brasil e Cultura FM.

Visite o cmais+ e navegue por nossos conteúdos.