Carlos Malta, um pifeiro de vanguarda

O flautista, saxofonista, pifeiro e compositor carioca fala de seus trabalhos indviduais, influências e experiências sonoras.

Lia Machado Alvim 24/02/12 15:59 - Atualizado em 24/02/12 15:59

Discípulo de Hermeto Pascoal, Carlos Malta toca sua flauta francesa, do século XIX, em frente à Rádio Cultura Brasil, em fevereiro de 2012. (Cultura Brasil)

Depois de 12 anos tocando com Hermeto Pascoal, o flautista, saxofonista, pifeiro e compositor Carlos Malta se lançou em voo solo, mas já totalmente impregnado da liberdade sonora que experimentou como integrante do grupo do mestre alagoano.

Em entrevista concedida ao programa "Todos os Sons", Malta comenta todos os seus trabalhos individuais, suas influências e sua necessidade de criar grupos musicais fora do padrão, experimentando sempre outras sonoridades.

Com o Pife Muderno, formado por Andréa Ernest Dias que divide os sopro com Malta, Marcos Suzano no pandeiro, Durval Ferreira e Oscar Bolão nos demais instrumentos de percussão, o músico lançou dois discos: o primeiro em 1999 e o segundo, "Paru", em 2005. Com o Coreto Urbano (André Boxexa e Oscar Bolão na percussão, Rodolfo Cardoso na percussão e bateria, Nelson de Oliveira, Sergio de Jesus, Dirceu Leite, Eliezer Rodrigues, Carlos Vega e Lulu Pereira nos sopros), Malta lançou “Tudo coreto”. O músico também já gravou com quarteto de cordas o CD “Pixinguinha, alma e corpo”, e com formações mais tradicionais gravou um disco dedicado ao repertório de Elis Regina. 

Carlos Malta trouxe uma de suas flautas ao estúdio da Rádio Cultura Brasil, e mostrou alguns temas com exclusividade para o "Todos os Sons".
  

________________

Todos os Sons
Carlos Malta, um pifeiro de vanguarda

Apresentado originalmente na RCB em 25 de fevereiro de 2012
Roteiro e apresentação: Lia Machado Alvim

O cmais+ é o portal de conteúdo da Cultura e reúne os canais TV Cultura, UnivespTV, MultiCultura, TV Rá-Tim-Bum! e as rádios Cultura Brasil e Cultura FM.

Visite o cmais+ e navegue por nossos conteúdos.


voltar ao topo